ODE AO TURISMO

AC Aimone Camardella

 

 

O ser humano sempre foi um “Turista” por excelência, pois gosta de se deslocar de sua cidade natal para outros lugares, não só com o espírito curioso em conhecer e usufruir de novos grupos de personalidade, seus hábitos, seu idioma, seus costumes, etc., como também para tirar algum proveito material com compras, férias, etc.

A natureza é pródiga em desertos, florestas, vinhedos a perder de vista, redutos culturais, espirituais, obras antigas, medievais e modernas, enfim todo um clima de expectativas que atraem o espírito humano , vibrando o seu ego de ansiedade na esperança de aprender  qualquer tipo de cultura que possa aumentar o seu conhecimento para um futuro próximo ou remoto.

O conceito e a definição de “TURISMO” têm evoluído bastante, desde 1935, 1937, 1945, e, por último, em 1963, quando a ONU - Organização das Nações Unidas emitiu a seguinte definição: “TURISTA – visitante temporário que permanece, pelo menos 24 horas num país, que não seja o seu”.

Além da beleza natural que caracteriza, de maneira a mais diversificada, as diversas regiões deste nosso Planeta, o ser humano, desde a antiguidade, sempre foi, e ainda é, um eterno projetista e construtor de Obras, que se eternizam, não só pelo seu valor técnico, mas também pela engenhosidade e detalhes, que revelam a sua capacidade indômita em transformar o meio em que vive.

Como exemplos, citam-se as SETE MARAVILHAS DO MUNDO ANTIGO, MEDIEVAL E MODERNO, que fazem parte do acervo estabelecido pela ONU, como Obras internacionalmente conhecidas , e representativas da mão de obra humana ao longo do tempo.

Com um cérebro prodigioso e operoso, o ser humano vibra com essas Obras antigas, medievais e modernas, procurando, através do Turismo conhecê-las in loco, como uma dádiva divina.

O desenvolvimento científico e tecnológico do mundo moderno tem permitido um Turismo executivo, com as facilidades de transporte, locomoção e um sistema moderno de Hotelaria. Dessa forma, atualmente, as cidades acompanham esta evolução, com Obras modernas, alimentando assim o “Turismo Interno (!)” , ou seja, no próprio país, e o “Turismo externo”.

Há vários Tipos de Turismo, tais como  RELIGIOSO, DE MASSA, DE INCENTIVO, CULTURAL, DE EVENTOS, DE ESTUDOS, AGROTURISMO, RURAL, NÁUTICO, ECOLÓGICO, DE AVENTURA.

O Turismo é uma das principais indústrias a nível global. Pode-se estabelecer a diferença entre o Turismo de massa (um grupo de pessoas agrupado por um operador turístico) e o turismo individual (viajantes que decidem as suas atividades e itinerários sem a intervenção de operadores).

Na Grécia Antiga, já existia uma incipiente atividade turística com as Olimpíadas (ou Jogos Olímpicos) ,de quatro em quatro anos, em que milhares de pessoas se deslocavam para assisti-las.

Antigamente, as viagens prendiam-se mais com a atividade comercial, os movimentos migratórios, as conquistas e as guerras. O Turismo, tal como o conhecemos atualmente, nasceu no século XIX na sequência da Revolução Industrial, que possibilitou as deslocações tendo por objetivo o descanso, ócio, ou ainda motivos sociais ou culturais.