ÉTICA E CULTURA

 

Aimone Camardella

 

          Entre as características do ser humano, a ÉTICA , sem dúvida, é uma das mais importantes, porque representa o comportamento humano face às relações e convivência com seus semelhantes, quer seja nos ambientes pessoais ou profissionais, vinculadas com a responsabilidade social e o discernimento dos limites de liberdade. A palavra ÉTICA nasceu na Grécia antiga; se deriva de Ethos, que significa aquilo que pertence ao caráter.

 

          A ÉTICA busca a fundamentação teórica para encontrar o melhor modo de viver e conviver, isto é, a busca do melhor estilo de vida, tanto na vida privada, quanto na vida pública. Só isto justificaria dizer, na opinião de Aroldo Araújo, que é “Um princípio que não tem fim”. Trata-se, portanto, de uma parte da filosofia dedicada aos princípios ideais do comportamento humano. Diferencia-se da Moral, pois, enquanto esta se fundamenta na obediência a costumes e hábitos recebidos, a Ética, ao contrário, busca fundamentar as ações morais exclusivamente pela razão.

 

          A Ética tem sofrido modificações conceituais ao longo da história, com vários desdobramentos. O fato é que Ética e Moral , antes confundidas pelo senso comum como sinônimos, foram-se tornando distintas ao longo do final da idade Antiga.

 

          A Ética abrange os campos denominados antropologia , psicologia, sociologia, economia, pedagogia, ou seja, os campos direta ou indiretamente ligados ao que influi na maneira de viver ou estilo de vida.

 

          Com a crescente profissionalização e especialização do conhecimento que se seguiu à revolução industrial, a maioria dos campos que eram objeto de estudo da filosofia, particularmente da ética, foram estabelecidos como disciplinas científicas independentes. Assim, é comum que atualmente a ética seja definida como “a área da filosofia que se ocupa do estudo das normas morais na sociedade humanas” e busca explicar e justificar os costumes de um determinado agrupamento humano, bem como fornecer subsídios para a solução de seus dilemas mais comuns. Neste sentido, ÉTICA pode ser definida como “a ciência que estuda a conduta humana” e a MORAL é “qualidade desta conduta, quando julga-se do ponto de vista do Bem e do Mal”.

 

          Como se conclui, portanto, a ÉTICA é uma Ciência Humanista por excelência, pretendendo fomentar a reflexão do sujeito para despertar a sua consciência de si mesmo e do mundo; compondo parâmetros de comportamentos que servem de referência para a figura da pessoa e do indivíduo.

 

          O sujeito é o que os filósofos chamam de Ser, aquilo que realmente é; expressando o objeto do conhecimento, a interiorização do mundo e sua significação para alguém. Portanto, o sujeito é aquele que produz atos pensados, racionalizados a partir da construção do conhecimento. Esta padronização de ações de forma ponderada pelo sujeito, depois de uma investigação das necessidades do indivíduo e do pragmatismo coletivo, demonstram o caráter científico da ÉTICA.

 

          De acordo com Aristóteles, “toda a humanidade se criou tendo em vista sempre o bem”. Dessa forma, é uma das funções da ÉTICA procurar esclarecer a dimensão filosófica da existência moral, constituindo uma Ciência que discute hábitos e ações para compor princípios universais que regulam as relações entre homens, facilitando a vida em sociedade e à convivência do sujeito consigo mesmo e com o outro.

 

          A ÉTICA, portanto, possui uma função moralizadora, banalizando juízes, discutindo o que é moral, ajustando os princípios aceitos pelo conjunto da humanidade, e, ao mesmo tempo, padronizando códigos de comportamento que pertencem a grupos ou profissões específicas.