CULTURA E POLÍTICA

 

Aimone Camardella

 

          Diz-se que são dois Temas que não se misturam, mas há de se convir que o desenvolvimento cultural de qualquer nação depende do planejamento político das autoridades competentes. É, sem dúvida, um problema complexo, porque o mesmo depende da Educação e da Instrução, como-um-todo, envolvendo Cursos Superiores, Instituições Acadêmicas, incentivos fiscais aos autores de Obras literárias, artísticas ou científicas, enfim todas as providências que possam atrair maior número de estudiosos nessas Áreas.

 

          O profissionalismo liberal também deve ser incluído neste rol de atividades, pois têm suas bases culturais, cada uma voltada para a sua especialidade.

 

          Como se pode deduzir, todo este trabalho influencia os membros daqueles que, às vezes, não têm meios ou capacidade de absorver os ensinamentos direcionados para sua vocação. A Instrução e a Educação são os alimentos da Cultura e a Política é o adubo indispensável.

 

          Considerando, por exemplo, as Instituições Acadêmicas, sabe-se que elas constituem um repositório cultural de primeira grandeza, envolvendo Grupos de Intelectuais, selecionados por suas Atividades, que fazem parte dos Anais mais importantes das Obras Nacionais e Internacionais. A pesquisa científica, tecnológica e literária tem levado esses Grupos Acadêmicos a trocarem permanentemente idéias em suas Academias, como são chamadas, através de publicações e discussões inter-pares.

 

          Assim nasceu, no Rio de Janeiro, a ACADEMIA BRASILEIRA DE LETRAS, inaugurada em 20 de julho de 1897. Esta unidade literária, criada no meio da federação política, teve como primeiro Presidente o grande escritor Machado de Assis.

 

          Modelada na Academia Francesa, esta Instituição Cultural, privada, tem como objetivo o cultivo da língua e da literatura nacionais.

 

          Considerando o problema dessa forma, há de se concluir que ele pode ser considerado como um índice de avaliação entre Países Ricos e Países Pobres.

 

          Academia, do grego antigo, é o nome dado, no ocidente, a várias instituições vocacionadas para o ensino superior e ensino universitário, na formação de suas atividades culturais, nomeadamente artísticas, literárias. Científicas e físicas, filosóficas, etc.

 

         O que é CULTURA senão a absorção do conhecimento que o homem adquire ao longo do tempo, graças às maravilhosas redes neurais da sua imagem de “homo sapiens”, que lhe foram atribuídas pelo Deus Maior, numa demonstração de amor e de confiança nos desígnios da raça humana?

 

          O que é CULTURA senão esta acumulação de “saber” muitas vezes cheia de nuances, que podem levar ao artificialismo exagerado, e conduzir a uma degradação, como, por exemplo, do “meio ambiente”, de consequência.

 

          Conforme, acima referido, a primeira Academia foi criada por Platão em 387 aC situada nos jardins consagrados ao herói ateniense Academus e que , embora destinada oficialmente ao culto das musas, teve intensa atividade filosófica.

 

          Por extensão, além de Filosofia, foram criadas outras muitas Instituições com esse nome de ACADEMIA, como, por exemplo, Academia de Direito, Academia de Medicina, Academia de Engenharia, Academia Militar das Agulhas Negras, Academias onde se ministra o ensino de práticas desportivas ou lúdicas, como Judô, dança , corte e costura etc.

 

          Como foi dito inicialmente, o desenvolvimento cultural é a base de qualquer nação, que, para isso, depende do planejamento político das autoridades competentes.

 

23 de janeiro de 2015